12 de dezembro de 2017

Transtorno/Síndrome do Panico - Quebrando a barreira do preconceito!

Ola pessoal! tudo bem? hoje eu vim falar de um assunto que por mais que seja notório hoje em dia, ainda envolve muito tabu e preconceito: Síndrome do Panico.


Nesse post eu vou trazer informações, e fazer colocações pessoais, pois ha 14 anos eu sofro com a síndrome do panico, e hoje eu vou mostrar pra vocês a visão da doença pelo olhar de alguém que vivencia isso todos os dias.

O que é a Síndrome do Panico?


A síndrome do panico, é um transtorno de ansiedade que gera ataques de medo intenso e inesperados.


Quais os Sintomas da Síndrome de Panico?


Os sintomas desse distúrbio são vários como:

  • Palpitações, aceleração cardíaca
  • Sudorese
  • Tremores / estremecimento
  • Sensação de desmaio repentino
  • Zumbido no ouvido
  • Vista turva ou escurece de repente
  • Tonturas e Nauseas
  • Formigamento pelo corpo
  • Falta de ar ou sufocaçao
  • Dor no peito ou desconforto
  • Medo de perder o controle ou enlouquecer
  • Medo de morrer
  • Sentimento de irrealidade (você sente como se estivesse desligando, parece que você enxerga as coisas de uma outra realidade que não e a sua)
Entre outros sintomas esses são os que mais acometem a grande maioria das pessoas que vivenciam a síndrome do panico.


Tratamento para a Síndrome do Panico




O primeiro passo para um tratamento eficaz da síndrome do panico é procurar ajuda medica especializada. Psicoterapeuta e Psiquiatra.
Muitas pessoas tem preconceito e medo de procurar um psiquiatra, eu era uma delas, porque existe aquele preconceito que psiquiatra é medico de "louco" e você não quer ser tratada como uma pessoa louca. 
Pessoas que admitem passar por tratamento psiquiátrico/psicológico perdem a credibilidade dos outros, pois são tratados como se não fossem "pessoas confiáveis", pessoas imprevisíveis. Isso é um dos grandes preconceitos que nós que fazemos tratamento psicológico sofremos.

A primeira coisa é admitir que sim você precisa de ajuda, e você procurando um especialista suas chances de controle dessa doença são muito grandes.
O Tratamento consiste na psicoterapia, que é a grande protagonista dessa historia toda, pois a psicoterapia trata o ser humano, trata o seu "eu" interior. É na psicoterapia que você vai encontrar a causa das suas crises de panico, e como você vai aprender a conviver com isso, a trabalhar isso em você para que você possa controlar.


A Síndrome do Panico tem cura?



Essa é a primeira preocupação de quem é diagnosticado com a síndrome do panico, se tem cura. Aqui vou dar o meu parecer pessoal, existem médicos que dizem que sim tem cura, e existem médicos que dizem que não tem cura, mas que tem controle.

Como eu já estou nessa ha 14 anos, eu posso dizer que sim tem controle. Eu fui diagnosticada com síndrome do panico em 2003, apos um assalto a mão armada onde o ladrão entrou no meu local de trabalho na época e me rendeu com um revolver no meu pescoço e chegou a fazer menção de que ia atirar em mim. Aquilo foi terrivelmente traumático para mim. Depois disso eu comecei a ter crises de panico repentinas, eu simplesmente acordava de noite passando mal como se fosse morrer!
Ia direto para o PS do hospital, fiz mil exames e minha saúde física estava totalmente normal, tomei mil remédios e nada adiantava.
Ate que um dia, um clinico geral que me atendeu conversou muito comigo, e me encaminhou para o psiquiatra, na época eu tinha 20 anos. Eu tive muito medo pois eu mesma tinha esse preconceito de que psiquiatra era medico de louco.
Passei no psiquiatra e comecei a fazer tratamento medicamentoso, mas não fiz a psicoterapia, ou seja, não fiz o tratamento correto. Fiquei 2 anos sem sair de casa, 5 anos tomando medicamento para as crises, foi quando eu comecei a sair de casa novamente, mas somente medicada. Em 2011 descobri estar gravida e tive que parar de tomar o remédio de um dia para o outro, tive crises de abstinência e foi muito difícil. Mas desde 2011 eu não tinha mais crise e mais nada! Achei que estava curada.

Quando em Setembro desse ano (2017), ocorreu um fato familiar que me abalou muito, e voltei a ter crises. E foi como se eu tivesse tido a primeira crise. Mas hoje com 34 anos, e toda a bagagem que carrego dessa doença, decidi retomar o tratamento, mas dessa vez da maneira correta.

Comecei pela psicoterapia, e a psicoterapeuta que me encaminhou para o psiquiatra. Hoje eu aprendi a lidar com as crises, não e fácil, mas não e impossível.

Como Superar a Síndrome do Panico Diariamente - Só Depende de Você!! 


Eu sou cristã, e digo que a nossa fé nos ajuda muito nesses momentos de crise, independente de religião, pois não falarei de religião, mas sim de fé
Ter fé é você crer em algo maior que você, maior que a sua ansiedade, maior que o seu medo.

Através da síndrome do panico eu desenvolvi a Agorafobia, depressão e o TOC, mas falarei desses distúrbios em um outro post. O que eu quero dizer é que não é fácil, a caminhada é longa, o percurso cheio de obstáculos, mas nenhum intransponível.

Nós somos donos da nossa mente, nosso cérebro utiliza apenas 10% da sua capacidade, os outros 90% ainda são uma incógnita para a ciência, mas não para Deus!

Eu faço a psicoterapia semanalmente, é algo que me ajuda muito, falar com alguém que esta fora da situação, do circulo de amigos e familiares. Pois, amigos e familiares nessas horas não são muito compreensivos. É uma minoria que você pode contar nos dedos, que te entende sem te julgar. Muitos falam que é frescura, falta do que fazer, preguiça, falta de Deus, chilique, que você quer chamar a atenção, etc... Eu já ouvi tudo isso de pessoas próximas a mim.

Mas vivenciando a síndrome do panico diariamente eu aprendi a lidar com ela. Aprendi a controlar, a não precisar do medicamento todos os dias. Eu faço Yoga e Meditação que me ajudam muito, muito mesmo a relaxar, a desligar do mundo e ligar em mim, em focar apenas em mim e mais ninguém. Isso não é egoismo, isso é autocontrole.

Aprendi a ficar sozinha, e a gostar da minha companhia, aprendi com exercícios de respiração, a controlar minha ansiedade. Não estou 100% ainda, mas vou chegar la. Aprendi a ver a vida por outro prisma, pelo lado bom. Pelo lado do aprendizado. Parei de ser a vitima, e agora estou me conhecendo, me desafiando a fazer coisas que para mim pareciam impossíveis, enquanto para outras pessoas é tao normal, como ir no mercado sozinha, andar de ônibus sozinha, ficar em casa sozinha, estar no meio de uma multidão... Isso tudo pra mim é uma vitoria, e eu posso dizer que mato um leão por dia, todos os dias.

Não se esqueçam que é preciso coragem para ser diferente, e muita competência para fazer a diferença.Todos os dias é a minha fé inabalável que me da forças para continuar lutando e conseguir meus objetivos.

Fiz esse post com muito carinho e respeito, espero que ajudem vocês, e que vocês consigam superar assim como eu estou conseguindo. Se você gostou desse post se inscreva no blog para receber em primeira mão os posts e compartilhe com seus amigos. Isso é um post de utilidade publica, e se você conhece alguém que sofre com a síndrome do panico ou outro distúrbio psicológico, não julgue essa pessoa. Nos não sabemos o quão difícil e a caminhada do nosso irmão ate calçarmos seus sapatos e andarmos na sua estrada.



Grande Beijo!!



Nenhum comentário

Postar um comentário

Desenvolvido por: Adorável Design Editado por: RM Design

imagem-logo